COC – Centro de Oncologia Campinas

Pacientes com câncer poderão receber reforço da vacina contra a Covid

A secretária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Melo, informou que parte da população brasileira deverá receber uma terceira dose da vacina contra a Covid-19. O reforço, afirmou, será direcionado às pessoas com sistema imunológico mais frágil, como pacientes com câncer. Deste público-alvo específico fazem parte também transplantados, portadores do vírus HIV e outros pacientes imunossuprimidos.

A intenção foi anunciada durante reunião da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado, nesta segunda-feira (16). A secretária avaliou que a experiência norte-americana – motivada pelo avanço da variante Delta do vírus e pelo relaxamento de medidas sanitárias – deverá ser acompanhada pelo Brasil. A ação é avaliada também pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Saiba mais: Pandemia agrava realidade do câncer

“Temos alguns estudos preliminares, porém esses estudos não foram publicados. São discussões internas, porém já estamos tomando decisões em nível de gestão, o que fazer, o que planejar, quantificar esses grupos que precisem, a exemplo do que aconteceu na semana passada nos Estados Unidos”, adiantou. Ainda segundo Rosana, no Brasil, os grupos prioritários, caso a estratégia se confirme, não devem ser diferentes dos priorizados nos Estados Unidos.

Os países que já aplicam a terceira dose se basearam em estudos que indicam que a imunidade diminui com o tempo. Algumas questões ainda estão em análise. Perguntas sobre quais imunizantes poderão ter uma terceira dose e se uma pessoa poderá tomar o reforço de uma vacina diferente do que tomou inicialmente, estão nessa lista.

Leia também: A importância da imunização no combate às doenças