COC – Centro de Oncologia Campinas

Câncer de Ovário

O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, atrás apenas do câncer do colo do útero. A quase totalidade das neoplasias ovarianas (95%) é derivada das células epiteliais (que revestem o ovário). O restante provém de células germinativas (que formam os óvulos) e células estromais (que produzem a maior parte dos hormônios femininos).

Estatística

A estimativa de novos casos para o ano de 2020 foi de 6.650 e de mortes para o ano de 2019 foi de 4.123.

Tipos

Há alguns anos acreditava-se que os cânceres de ovário começavam apenas nos ovários, mas evidências recentes sugerem que muitos tipos podem começar nas células distais das trompas de falópio.

O câncer de ovário é considerado o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado, uma vez que a maioria dos tumores malignos de ovário só se manifesta em estágios avançados.

O câncer de ovário pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas acomete principalmente mulheres acima de 40 anos, são tumores de crescimento lento com sintomas que levam algum tempo para se manifestarem. O quadro clínico não é muito específico e pode se manifestar com dor abdominal difusa, constipação, aumento de volume do abdome e desconforto digestivo ou dispepsia.

Existem três tipos principais de tumores de ovário:

  • Tumores epiteliais: começam a partir das células que cobrem a superfície externa de ovário. A maioria dos tumores ovarianos são de células epiteliais.
  • Tumores de células germinativas: começam a partir das células que produzem óvulos.
  • Tumores estromais: começam a partir de células que formam o ovário e que produzem os hormônios femininos, estrogênio e progesterona.

A maioria dos tumores é benigna e não se dissemina para além do ovário. Os tumores benignos podem ser tratados mediante a remoção de um dos ovários que contém o tumor. No entanto, os tumores ovarianos malignos podem acometer o órgão e se disseminar para outras partes do corpo.

Fatores de Risco:

  • Idade; a incidência de carcinoma epitelial de ovário aumenta com o avanço da idade.
  • Fatores reprodutivos e hormonais: o risco de ovário é aumentado em mulheres com infertilidade e reproduzido naquelas que tomam contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) ou que tiveram vários filhos. Por outro lado, mulheres que nunca tiveram filhos parecem ter risco aumentado para câncer de ovário.
  • A menarca (primeira menstruação) precoce (antes de 12 anos) e a idade tardia na menopausa (após os 52 anos) podem estar relacionadas ao risco aumentado de câncer de ovário.
  • A infertilidade é fator de risco para o câncer de ovário, mas a indução da ovulação para o tratamento de infertilidade não parece aumentar o risco de desenvolver a doença.
  • O risco de câncer de ovário com terapia hormonal pós menopausa aparenta ser pequeno.
  • História familiar: histórico familiar de câncer de ovário, colorretal e de mama está associado a risco aumentado de câncer de ovário.
  • Fatores genéticos: mutações em genes, como BRCA1 e BRCA2, estão relacionadas a risco elevado de câncer de mama e de ovário.
  • Excesso de peso corporal: aumenta o risco de desenvolvimento de câncer de ovário.

Prevenção

As mulheres devem estar atentas aos fatores de risco, manter o peso corporal saudável e consultar regularmente o médico, principalmente a partir dos 50 anos.

O exame preventivo ginecológico (Papanicolaou) não detecta o câncer de ovário, já que é específico para detectar o câncer de colo de útero.

Sinais e Sintomas:

O câncer de ovário pode provocar vários sinais e sintomas. Entretanto, é mais frequente o aparecimento de sintomas quando a doença se disseminou para outros órgãos. Os sintomas mais comuns incluem:

  • Inchaço.
  • Dor pélvica ou abdominal.
  • Dificuldade na alimentação ou sensação de plenitude.
  • Necessidade urgente e frequente de urinar.

Esses sintomas são também comumente causados tanto por outras condições clínicas como por outros tipos de câncer. Quando são causados ​​pelo câncer de ovário, tendem a ser persistentes, por exemplo, ocorrem com mais frequência ou são mais severos. Se uma mulher apresentar esses sintomas quase que diariamente, por mais de algumas semanas, deve consultar seu médico, de preferência um ginecologista, para que a causa seja diagnosticada e, se necessário, iniciado o tratamento.

Outros sintomas do câncer de ovário podem incluir:

  • Fadiga.
  • Dor de estômago.
  • Dor nas costas.
  • Dor durante a relação sexual.
  • Constipação.
  • Alterações menstruais.
  • Inchaço abdominal com perda de peso.

É muito importante ficar atenta a qualquer alteração e procurar um médico o quanto antes.

Diagnóstico

Diante de algum sintoma suspeito, o médico realizará o exame clínico ginecológico e poderá pedir exames laboratoriais e de imagem.

Tratamento

A doença pode ser tratada com cirurgia ou quimioterapia. A escolha vai depender, principalmente, do tipo histológico do tumor, do estadiamento (extensão da doença), da idade e das condições clínicas da paciente e se o tumor é inicial ou recorrente.

Referências

Tua Saúde Câncer de Ovário. Disponível em: https://www.tuasaude.com/cancer-de-ovario/  Acesso em 25/06/2021.

Instituto Nacional do Câncer Tipos de câncer. Câncer de Ovário. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-ovario   Acesso em: 25/06/2021.

Instituto Oncoguia Tipos de Câncer. Câncer de Ovário. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/sinais-e-sintomas-do-cancer-de-ovario/703/229/  Acesso em: 25/06/2021.

Instituto Vencer o Câncer. Tipos de câncer. Câncer de Ovário. Disponível em: https://vencerocancer.org.br/tipos-de-cancer/cancer-de-ovario-tipos-de-cancer/cancer-de-ovario-tratamento-2/  Acesso em: 25/06/2021.

AC Camargo Tipos de Câncer. Câncer de Ovário. Disponível em: https://www.accamargo.org.br/sobre-o-cancer/tipos-de-cancer/ovario Acesso em: 25/06/2021.

Mitos e Verdades

Mito: Esse tipo de câncer é realmente mais comum em mulheres que já estão na menopausa, acima de 50 anos, mas isso não é uma regra. Recomenda-se que durante a idade fértil, as mulheres mantenham acompanhamento ginecológico regular, não apenas em razão do câncer de ovário, mas também para prevenção do câncer de colo de útero e avaliação de doenças sexualmente transmissíveis.

Verdade: Estudos apontam que mulheres que fazem uso de medicamentos anticoncepcionais têm menos chances de desenvolver câncer nos ovários, mas não significa que quem toma ou tomou anticoncepcional não terá a doença.

Mito: Definitivamente ter um cisto não significa ter um câncer. Mas é importante que a mulher que tem um cisto faça acompanhamento médico para que seja tratado corretamente e, dependendo do caso, removido.

Depende: É verdade que no estágio inicial da doença os sintomas são bem discretos, mas podemos considerar os sinais abaixo como um alerta:

  • Aumento desproporcional na vontade de urinar;
  • Dores na região abdominal;
  • Indigestão;
  • Cansaço intenso e sem motivo aparente;
  • Sangramentos vaginais anormais;
  • Rápida perda de peso.

Conteúdos Relacionados