COC – Centro de Oncologia Campinas

“Curvas da Vida”. Quando a arte simboliza a força para superar os contornos da trajetória

Curvas da vida. O nome da série de obras do pintor Marcelo Maria de Castro é mais do que sugestivo. Viver é seguir em frente, ainda que pelo caminho apareçam desvios, contornos imprevistos da trajetória. Pois é essa simbologia impressa nas pinturas abstratas do artista que decorará as paredes do Centro de Oncologia Campinas nos próximos 30 dias. A mensagem de seguir adiante dada diariamente aos pacientes ganha agora forma nos trabalhos de Marcelo.

Dentre as muitas qualidades da arte, lembra o médico Fernando Medina, está a capacidade de minimizar o sofrimento humano. “Enquanto o COC trabalha o aspecto físico da recuperação, a arte pode contribuir com aspectos emocionais”, detalha. “E essa parceria entre corpo e mente é valorizada constantemente dentro da unidade médica”, acrescenta o oncologista do COC.

Medina explica que o tratamento do câncer é agressivo. Sessões de quimio e radioterapia, apreensão e ansiedade são companheiras de boa parte dos pacientes. “Quando acrescentamos arte ao ambiente, acrescentamos também sensibilidade, afeto e amparo a quem frequenta o centro”, reforça.

A parceria com o artista Marcelo de Castro ainda soma diversos outros benefícios, salienta o diretor do COC, Antônio Amaro Moreira. “Paredes que trazem mais do que cor; imagens que traduzem sentimentos; cores que sugerem a arte e o artista. Tudo isso auxilia a mudar o foco para longe da dor ou de pensamentos estressantes, concentrando-se na recuperação e em atividades reconfortantes e agradáveis”, avalia.

Sobre o artista

Quando concebeu a exposição “Curvas da Vida”, Marcelo Maria de Castro se inspirou em Manoel de Barros, escritor modernista brasileiro que escreveu: “A reta é uma curva que não sonha”. A partir daí, colocou seus sentimentos nas telas. “A curva é, então, uma reta que sonha. Minhas obras são um convite a sentir o corpo, e a sentir também as cores, não pelo intelecto, pelo que os nomes das cores representam, mas pela sensibilidade que elas carregam”, define o artista, professor há dez anos da Panamericana Escola de Arte e Design.

Carioca, Marcelo vive em São Paulo, capital, há mais de 20 anos. Ao desenvolver e agrupar os trabalhos expostos no COC, teve em mente também a campanha “Março Lilás”, dedicada à conscientização e tratamento do câncer de colo de útero. “Antes de fazer essa coleção abstrata eu andava meio reflexivo. Foi aí que comecei a entender melhor o olhar do observador. É um olhar curativo. Fiquei muito satisfeito com o resultado e espero que as pessoas possam se sentir melhor ao olhar minhas obras”.

Saiba mais: Campanha Março Lilás incentiva prevenção do câncer de colo de útero

Sobre a exposição

As obras de Marcelo ficarão expostas nas paredes dos saguões do Centro de Oncologia Campinas, em Barão Geraldo, até o próximo dia 5 de maio. Perto de cada quadro haverá um QR Code. Ao apontar a câmera de celular para o código, a pessoa conhecerá todas as informações sobre a obra e o artista. Também poderá entrar em contato caso haja interesse em adquirir algum dos quadros.