COC – Centro de Oncologia Campinas

ico-quimioterapia

Quimioterapia

No câncer, o objetivo da quimioterapia é acabar com as células cancerígenas (doentes) por meio de medicamentos. Os tipos de tratamentos são baseados em protocolos terapêuticos para cada doença. Os objetivos são curativos, adjuvantes (realizado após a cirurgia para eliminar as células cancerígenas remanescentes e reduzir os riscos de recidivas e metástases), neoadjuvante (para reduzir o tamanho do tumor antes da cirurgia) e paliativos (quando não há possibilidade de cura, melhora a qualidade da sobrevida do paciente).

O que é Quimioterapia?

A quimioterapia é um procedimento que utiliza medicamentos para destruir as células tumorais e impedir que se espalhem pelo corpo. Estes medicamentos se misturam com o sangue e são levados a todas as partes do corpo. Na maioria das vezes, é administrada por via venosa, embora alguns quimioterápicos possam ser administrados por via oral, intramuscular (pelo músculo) e subcutânea (abaixo da pele), além de uso tópico (pomadas).

Protocolos

São vários os protocolos de quimioterapia existentes, e tudo dependerá do tipo do câncer do paciente. O tratamento quase sempre é ambulatorial, porém há casos que requerem hospitalização do paciente durante todo o período do tratamento. É um tratamento basicamente indolor, embora algumas vezes, certos remédios podem causar uma sensação de desconforto e coceira. Após fazer o efeito desejado, a medicação é eliminada do corpo, principalmente através da urina.

Tipos

A quimioterapia pode ser:

  • curativa: para controlar completamente o tumor
  • adjuvante: realizada após a cirurgia ou outro tratamento, a fim de eliminar as células cancerígenas remanescentes
  • neoadjuvante: para reduzir o tamanho do tumor
  • paliativa: para melhorar a qualidade da sobrevida

Dependendo do tipo de quimioterapia, o paciente consegue manter a mesma rotina de antes, a exceção dos dias posteriores às primeiras sessões, quando pode ocorrer uma certa indisposição.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais dependerão do tipo de medicamento, da dose utilizada e da resposta do organismo de cada um e desaparecerão quando o tratamento acabar.

Um dos efeitos mais conhecidos, a queda do cabelo pode ser total ou parcial e se iniciar geralmente após 14 a 21 dias do início do tratamento. É um temporário e reversível – o cabelo voltará a crescer após o término da quimioterapia. Prisão de ventre, diarreia, feriadas na boca, náuseas e enjoo são outros efeitos colaterais.

Corpo Clínico

Dr. Fernando Medina da Cunha

MD, MS, PhD, Oncologista Clínico. Com especialização em Oncologia Clínica e doutorado em Clínica Médica. Diretor do Centro do Câncer Francisco Cunha Filho e Diretor do Centro de Oncologia Campinas e Diretor do Centro de Oncologia de Limeira.

CRM: 43.587
Especialidade: Oncologia Clínica

Dr. André Augusto J. Gemeinder de Moraes

MD, MS, Oncologista Clínico com experiência em transplante de medula óssea. Especialista em Oncologia Clínica e Especialista em Cancerologia, médico assistente do Centro de Oncologia Campinas e diretor do Centro de Oncologia Campinas.

CRM: 55.620
Especialidade: Oncologia Clínica

Dra. Ana Lucia Leistner

MD, Oncologista Clínica, formada pela PUC Campinas, atuando como oncologista clínica no Instituto de Oncologia Clínica de Piracicaba – CECAN.

CRM: 75.572
Especialidade: Oncologia Clínica
Dr. Gilmar Nepamuceno Araújo

Dr. Gilmar Nepamuceno Araújo

MD, MS, Oncologista Clínico. Com mestrado em Clínica Médica e Especialização em Oncologia Clínica e Clínica Médica. Membro da America Society of Clinical Oncology e da European Society of Medical Oncology e da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

CRM: 57.137
Especialidade: Oncologia Clínica
Dra. Katia Cristina Fitas Loureiro

Dra. Katia Cristina Fitas Loureiro

MD, Oncologista Clínica. Atualmente é médica do Instituto de Oncologia Clínica de Piracicaba e do centro de Oncologia Campinas. Têm experiência em Oncologia Clínica.

CRM: 80.329
Especialidade: Oncologia Clínica